Somos contra o aumento de impostos de importação de pneus #35nao

Indo de encontro a nossa filosofia de liberdade de escolha, não podemos deixar de nos posicionar sobre uma movimentação que impacta o direito de escolha de você consumidor, afinal, hoje os pneus importados já representam mais da metade do mercado.

Recentemente, a ANIP (Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos) protocolou junto à CAMEX – Câmara de Comércio Exterior do Brasil um pleito solicitando um aumento significativo no imposto de importação de pneus de carga e passeio, passando de 16% para 35%. confira aqui:

Esta mudança vai causar um impacto direto e significativo em vários setores da economia, especialmente no transporte e na logística, que dependem fortemente desses produtos para suas operações diárias.

Impactos na cadeia de transporte

Os pneus importados representam mais de 50% do consumo de pneus no Brasil, indicando uma grande dependência do mercado nacional em relação a estes produtos. Com o aumento dos impostos, espera-se um aumento considerável nos custos de importação. As empresas de transporte, que são grandes consumidoras de pneus, enfrentarão um aumento significativo em seus custos operacionais.

Aumento nos custos operacionais 

O transporte rodoviário, que é a espinha dorsal da logística no Brasil, será diretamente afetado. Empresas de transporte terão que arcar com pneus mais caros, o que, inevitavelmente, aumentará os custos de manutenção de frotas, consequentemente afetará os custos de frete.

Redução de margens de lucro

Com os custos operacionais elevados, as empresas de transporte enfrentarão uma pressão nas suas margens de lucro. Muitas empresas podem ser forçadas a repassar parte ou todo esse aumento para os consumidores finais.

Efeitos nos preços ao consumidor

A elevação dos impostos sobre pneus importados pode gerar um efeito cascata que resultará em um aumento geral de preços em diversos setores da economia. Isso ocorre porque o transporte é um componente crucial da cadeia de suprimentos para praticamente todos os produtos.

Aumento no preço de produtos

Produtos que dependem do transporte rodoviário para chegar aos consumidores finais, como alimentos, eletrônicos e vestuário, provavelmente verão seus preços aumentarem. Isso ocorre porque as empresas de transporte irão repassar os custos adicionais para os distribuidores, que, por sua vez, aumentarão os preços para os consumidores.

Inflação

Com o aumento generalizado nos preços dos produtos, pode haver uma pressão inflacionária no país. A inflação reduz o poder de compra dos consumidores e pode desacelerar a economia, uma vez que os consumidores tendem a reduzir seus gastos diante de aumentos de preços.

Risco de greves

Em 2018 o sindicato dos caminhoneiros realizou uma das maiores greves da história do país em reação a aumentos significativos nos impostos do diesel. O diesel é o maior custo do transporte e o pneu vem em segundo lugar, um aumento no custo destes itens pode causar reações semelhantes.

Competitividade da Indústria Nacional

As indústrias que dependem de insumos transportados por rodovias podem ver seus custos de produção aumentarem, o que pode reduzir a competitividade dos produtos brasileiros tanto no mercado interno quanto no mercado externo.

Ainda é possível evitar que tudo isso afete a economia do Brasil e os bolsos dos brasileiros, apoie esse movimento assinando a petição: #35nao

Mais informações em www.35nao.com.br

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *